Imprensa Notícias Governo do Estado reduz débito com Hospital São João Batista

15/03/2017 às 15:05

Autor: Assessoria

Na última segunda-feira (13), prefeitos, gestores da área de saúde, vereadores e representantes de entidades da sociedade civil organizada dos quatro municípios que integram o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região do Centro-Norte (Diamantino, Alto Paraguai, Nortelândia e São José do Rio Claro) se reuniram, em Cuiabá, com o secretário estadual de saúde, João Batista Pereira da Silva. Também participaram da reunião o secretário-executivo de saúde de Mato Grosso, Wisley Clemente, e os deputados estaduais Guilherme Maluf, Dilmar Dal Bosco, Wagner Ramos e José Domingos Fraga.

O objetivo do encontro foi reivindicar a atualização dos repasses ao Hospital São João Batista. Os recursos do estado para o Hospital, na ordem de R$ 419 mil mensais, estavam atrasados desde outubro de 2016. O Hospital São João Batista atende a pacientes de 11 municípios da região.

O prefeito de Diamantino, Eduardo Capistrano, é o presidente do Consórcio. Para ele, a reunião teve bons resultados, já que o Governo fez o repasse de duas parcelas. “Ainda temos duas [parcelas] em atraso. Mas, a tendência é que este ano o repasse volte a acontecer no tempo correto. Os atrasos que existem são referentes a outubro e novembro de 2016, que a Secretaria de Estado de Saúde ordenou como ‘resto a pagar’”, afirmou.

O prefeito lembrou que o apoio das autoridades e de entidades da sociedade civil foi fundamental para a conquista do pagamento de duas parcelas. “Queremos agradecer aos prefeitos das cidades vizinhas, que fazem parte do Consórcio e fortaleceram a reunião. Agradecer também à sociedade civil organizada: Acid, maçonaria, Rotary, e ao polo regional de saúde também, que compareceu e nos ajudou muito” ressaltou.

O vice-prefeito Claudimar Barbacovi, também participou do encontro. Segundo Gaúcho, o pagamento das duas parcelas vai dar algum fôlego, para a administração do Hospital. “Estavam atrasados praticamente cinco meses de repasses do hospital. com médicos, enfermeiros e toda a equipe precisando receber, para continuar trabalhando. Com esses dois meses que o Governo repassou, vai diminuir o débito que o hospital tem com esses profissionais”, lembrou.