Publicado em: 28/10/2017 ás 07:54:00 Autor: Assessoria de Comunicação Fonte: Secretaria de Educação

A Promotoria de Justiça de Diamantino apresentou nesta quarta-feira (25) o Projeto "Onde há educação, a corrupção não tem vez" de autoria da Promotora de Justiça Dra. Luciana Fernandes.

Marcaram presença no ato da apresentação a secretária de Educação Edith Marmos, o Assessor Pedagógico Cézar Spindola, a Assessora Pedagógica Municipal Rose Carris, diretores e Coordenadores das redes Municipal, Estadual e do IFMT.  O Projeto tem iniciativa do Ministério Público e parceria com as redes de ensino estadual e municipal de Diamantino.

O projeto tem por objetivo proliferar a discussão sobre a corrupção, o combate e a reflexão crítica dentro das escolas.

O trabalho será feito através de palestras e diálogos com as crianças e adolescentes pela Dra. Promotora Gileade Pereira Souza Maia e o Dr. Daniel Balan Zappia.

Todas as escolas do município aderiram a causa e o projeto com muito entusiasmo. No término do projeto serão apresentadas redações e atividades de artes como poemas, poesias, músicas, teatros dentre outras.

E como forma de incentivo a escola vencedora receberá um prêmio de 1.000,00 (mil reais) e os alunos campeões um tablete cada.
"É Diamantino semeando a semente da educação contra a corrupção, com certeza será um sucesso" afirmou a Promotora de Justiça Dra Luciana Fernandes.

A Prefeitura de Diamantino e a Secretaria municipal de Educação acreditam que através dessas ações conseguiremos mudar as atitudes da nossa sociedade!

“Este projeto vem de encontro com as necessidade não só do nosso estado, mas também do nosso país, e tudo o que nós enquanto educadores pudermos fazer para mudar este cenário, com certeza o faremos. É com muita alegria que a secretaria de Educação aceita o convite de poder apoiar esse projeto idealizado pela Promotora de Justiça Dra. Luciana Fernandes, nós acreditamos que este trabalho trará bons resultados para nossas crianças.” afirma Edith Marmos.


#Diamantinocontraacorrupção
#ondeháeducaçãoacorrupçãonãotemvez.

Notícias relacionadas